EFEQiddiya (Arábia Saudita)

O espanhol Carlos Sainz (Mini) ganhou esta sexta-feira o seu terceiro Dakar ao conservar, no último contrarrelógio do rali, a sua vantagem sobre o catariano Nasser Al Attiyah (Toyota) e o francês Stéphane Peterhansel (Mini), que completaram o pódio na segunda e terceira posição, respetivamente.

Sainz, que liderou a corrida desde a terceira etapa, venceu o rali mais difícil do mundo pela terceira vez na sua carreira, depois dos triunfos em 2010 e 2018, e fê-lo novamente como o piloto mais velho a conseguir esta proeza, agora com 57 anos.

O piloto madrileno e o seu co-piloto Lucas Cruz não arriscaram nos últimos 167 quilómetros cronometrados do Dakar para garantir a sua vitória, que devem ratificar com um percurso de exibição de 13 quilómetros a caminho do pódio de chegada.

Sainz tinha praticamente sentenciado o rali na etapa 10, uma das etapas mais complicadas, onde beneficiou de um deslize de Al Attiyah e Peterhansel, que se enganaram no caminho, o que foi aproveitado pelo espanhol para impor uma distância quase intransponível a dois dias do fim.