EFELisboa

O guarda-redes espanhol Iker Casillas vai fazer parte do staff diretivo do Porto, decisão que tomou após o enfarte do miocárdio que sofreu durante um treino com o clube português no passado 1 de maio.

Segundo precisou hoje o clube em comunicado, o guarda-redes, que tem contrato até junho de 2020 com o Porto, "fará parte do staff diretivo da equipa de futebol enquanto recupera do problema de saúde".

Em princípio, o guarda-redes será o intermediário entre jogadores, treinador e direção desportiva, "podendo a sua atuação ser ampliada a outras funções dentro do clube".

Casillas, de fato, já não figura na convocatória de jogadores da equipa que se concentra esta segunda-feira, e até 24 de julho, no Algarve, ao sul de Portugal.

"Vou fazer algo diferente do que habitualmente fazia, que era estar no campo", afirmou Casillas em declarações ao canal de televisão do Porto.

"O treinador -Sérgio Conceição- falou comigo na última época quando aconteceu a minha situação e disse-me que queria que encontrasse com eles, perto dos jogadores, perto dos jogadores mais jovens, porque haveria várias mudanças", esclareceu o guarda-redes.

Casillas assegurou que fará todo o possível para "ajudar" os seus colegas e concluiu: "Vamos preparar-nos para fazer o melhor possível no início da temporada".

O guarda-redes, de 38 anos, tem no seu palmarés um Mundial e dois Europeus como capitão da seleção espanhola ou três Ligas dos Campeões e cinco Ligas de Espanha com o Real Madrid. Retira-se quando se vão cumprir 20 anos da sua estreia como titular com a primeira equipa do Real Madrid, a 12 de setembro de 1999, frente ao Athletic Club, em San Mamés.

Casillas deixou a capital de Espanha no verão de 2015 após a sua tensa relação com o técnico José Mourinho, tendo sido recebido como um herói no Porto, clube no qual jogou desde então e com o qual agora vai continuar ligado, por enquanto, nos despachos.