EFEPalma

O clube maiorquino Playas de Calviá, da Terceira Divisão das ilhas Baleares, pôs em mãos dos seus advogados a possibilidade de cobrar pelos direitos de formação de Emiliano Sala assim que o Cardiff e o Nantes alcancem um acordo económico sobre a transferência do jogador argentino, falecido em trágicas circunstâncias.

Sala, cujo cadáver foi localizado esta quinta-feira no pequeno avião acidentado no canal da Mancha no passado 21 de janeiro, jogou com 17 anos no Soledad na temporada 2006-2007, clube de Palma que foi absorvido pelo Playas de Calviá em 2016 juntamente com o Montuiri.

O jogador sul-americano chegou ao Soledad através da escola de futebol "Proyecto Crecer" e o clube balear quer consultar a FIFA se tem algum direito sobre a sua transferência, segundo publica esta sexta-feira o jornal "Última Hora", que avança que a equipa espanhola poderá receber 17 milhões de euros do Cardiff.

"Caso se aplica o regulamento internacional sobre formação de jogadores temos direito a cobrar. Por isso, queremos que os nossos serviços jurídicos se ponham em contato com a FIFA e determinem se há essa possibilidade, embora por enquanto não reivindicamos nem pedimos nada", declarou à Efe Armando Pérez Costas, presidente do Playa de Calviá.

O diretor, que lamenta o "trágico falecimento" de Sala, assegura que o Cardiff "tem uma dívida" com o Nantes, já que "a operação foi feita".

"Desconheço as cláusulas do contrato assinado entre o clube inglês e o francês, mas o certo é que há uma transferência assinada e uma dívida entre uma entidade e outra", precisou Pérez Costas.