EFEAssunção

Lima, capital peruana, foi anunciada esta terça-feira pela Conmebol como a cidade sede da final da Taça Libertadores entre o Flamengo de Jorge Jesus e River Plate, cuja data foi mantida para o próximo dia 23.

A decisão do torneio seria realizada em Santiago, no Chile, mas como o país vive uma onda de manifestações de índole social -incluindo a convocação de um grande protesto para o dia da partida com epicentro no Estádio Nacional- acabou por provocar a mudança do local.

A decisão foi tomada numa reunião de mais de seis horas de duração entre representantes dos dois clubes envolvidos, da CBF, das federações da Argentina e Chile e do presidente da própria Conmebol, Alejandro Domínguez.

"Novas circunstâncias de forças maior e ordem pública, analisadas e avaliadas com cautela, considerando a segurança dos jogadores, do público e das delegações, motivaram a decisão de levar a final da Libertadores de 2019 para Lima, no Peru, e manter a data de 23 de novembro. A escolha do novo palco é apoiada pela posição do governo do Peru e as garantias de segurança que nos deram", explicou a Conmebol.

A entidade não esclareceu se a partida será realizada no Monumental, maior estádio da capital peruana, com capacidade para 80.093 pessoas, ou o Nacional, sede de vários eventos dos Jogos Pan-Americanos deste ano, mas que também no dia 23 vai receber um grande festival de salsa.

"A decisão foi acordada com os presidentes dos clubes Flamengo e River, as associações de Argentina, Brasil e Chile e também apoiou a política de fazer cada uma das finais únicas em países diferentes", disse a confederação continental, justificando por que descartou Assunção, que receberá a decisão da Copa Sul-Americana no próximo sábado.