EFELondres

Cristiano Ronaldo saiu chateado do jogo contra o Brentford. O Manchester United estava na frente do marcador, havia espaço, estava confortável e era uma boa oportunidade para marcar. Mas Ralf Rangnick preferiu a sua substituição e o português não recebeu a decisão com agrado.

Ronaldo saiu irritado e sentou-se no banco no Brentford Community Stadium com cara de poucos amigos. Rangnick teve de ir explicar porque tinha sido substituído a 20 minutos do fim e com o adversário em aberto.

"O que aconteceu é normal, um avançado quer sempre marcar", disse o alemão, que colocou o defesa central Harry Maguire no lugar de Cristiano para segurar o resultado e evitar outro deslize como o que sofreu contra o Aston Villa, que empatou o 2-0 nos minutos finais. "Não queria que isso se repetisse e manter a baliza a zero", disse.

Mas Cristiano, que não marca desde 30 de dezembro contra o Burnley, queria uma explicação.

"Apenas me perguntou "Porquê eu, por que me tiraste?", indicou Rangnick. "Tive de tomar a melhor decisão para a equipa. Não queria repetir o erro contra o Villa. Compreendo que o Cristiano é ambicioso, mas, se alguma vez for treinador, vai perceber que ele tomaria a mesma decisão depois de 70 minutos de jogo".

"Não esperava que me desse um abraço depois de ter sido substituído. Sei como os goleadores pensam e tive de tomar esta decisão. Não tenho problemas com ele", acrescentou o técnico.

Para além de tudo isto, Cristiano acabava de regressar depois de ter perdido os dois últimos jogos por lesão. O português teve um desconforto muscular que o impediu de jogar contra o Villa na Taça de Inglaterra e na Premier League.

"Acaba de recuperar de uma lesão e está sem jogar há dez dias. Tínhamos as opções de Marcus Rashford e Anthony Martial no banco, então porque não usá-las? Tomaria novamente a mesma decisão".

O próprio Rashford fez o 0-3, mas o United não conseguiu manter a baliza a zero pelo quinto jogo consecutivo na Premier League.

"Estou aqui há seis semanas e nunca tive um problema com o Cristiano. Falámos da sua lesão antes do jogo da taça contra o Villa e concordámos que não iria jogar. Hoje estava disponível e decidimos colocá-lo a titular", disse Rangnick.