EFELisboa

O avançado uruguaio Darwin Núñez, a contratação mais cara da história do Benfica, que pagou 26 milhões de euros ao Almería no verão passado, ocupa agora o banco dos encarnados e não é titular na Liga Portugal desde 21 de fevereiro.

Desde essa jornada, depois de dores musculares que o afastaram por dois jogos, o internacional uruguaio de 21 anos perdeu espaço no onze de Jorge Jesus devido, em parte, ao bom momento atravessado por Haris Seferovic e Luca Waldschmidt.

Seferovic, internacional suíço de 29, teve um março de sonho, com 7 golos em quatro jornadas, enquanto que Waldschmidt, internacional alemão, que chegou no verão vindo do Friburgo, conseguiu marcar na última jornada o golo que deu a vitória ao Benfica contra o Marítimo por 1-0.

Além disso, com Darwin Núñez no banco, o Benfica conseguiu encadear cinco vitórias consecutivas que lhe permitiram recuperar o terceiro lugar, a última posição que dá acesso à Liga dos Campeões.

A ausência do avançado coincide com o melhor momento dos encarnados esta época, pelo que o uruguaio terá que lutar por ganhar o estatuto de titular.

Os seus últimos golos com o Benfica foram marcados a 11 de fevereiro, num jogo da Taça contra o Estoril, da segunda divisão, pelo que acumula uma seca anotadora de quase dois meses.

O uruguaio tem 4 golos e 7 assistências na Liga Portugal, mas os seus melhores números são na Liga Europa, onde marcou 5 golos em 7 jogos.

Esta marca levou Jesus a dizer então: "Este rapaz vai ser o melhor do mundo e, infelizmente para mim, vou perdê-lo em pouco tempo".

Apesar da condição de suplente, Darwin Núñez mostrou muito potencial esta época, destacando-se como um poderoso avançado com forte capacidade de desmarcação e jogo aéreo.