EFERoma

O holandês Matthijs De Ligt, apresentado esta sexta-feira como novo jogador da Juventus, afirmou que elegeu a equipa italiana apesar do interesse de outros grandes clubes porque lhe demonstrou que "realmente" o queria.

De Ligt, de 19 anos, que chegou à Juventus por 85,5 milhões de euros após capitanear o Ajax na última época, explicou que "a pressão não é um problema" para ele, além de confirmar que o português Cristiano Ronaldo lhe propôs assinar pela equipa de Turim durante a última Liga das Nações.

"Itália é conhecida por ser a terra da defesa e para mim é um desafio. A Juventus mostrou-me confiança, mostrou que realmente me queria e estou orgulhoso por estar aqui. Houve muitos fatores, mas no final as sensações fizeram a diferença", afirmou De Ligt na sua conferência de imprensa de apresentação.

"É um grande passo, o primeiro passo fora do meu país. No início tenho que me habituar, estou orgulhoso da forma como os adeptos me receberam e espero devolver-lhes o carinho", prosseguiu.

O holandês, que eliminou a Juventus da última Liga dos Campeões com um golaço de cabeça, relembrou ainda o seu encontro com Cristiano num Portugal-Holanda da última Liga das Nações.

"Nessa altura estava a pensar onde ir depois do verão. Tinha uma ideia, mas quis decidir depois da Liga das Nações, ter umas férias e depois ir para um novo clube. Nesse momento (Portugal-Holanda) já estava quase seguro, mas é muito bom que um jogador como Cristiano me perguntasse se queria juntar-me à Juventus", disse.

Para ultrapassar a concorrência do Barcelona ou do Paris Saint-Germain, a Juventus pagou 85,5 milhões ao Ajax e ofereceu a De Ligt um contrato de cerca de 12 milhões de euros líquidos anuais, uma pressão que não assusta o holandês.

"A pressão é normal, quando um clube paga muito dinheiro por ti tens muita pressão. Mas se queres ser um grande jogador tens que o assumir. Para mim não é grande coisa, não é um problema. Quero mostrar o meu valor no campo", afirmou.

De Ligt será o novo 4 da Juventus, um número pelo qual tem carinho desde criança.

"Nos jovens do Ajax sempre tive o 4 e na primeira equipa também. Na Juventus estava livre e ouvi boas histórias sobre (o uruguaio) Paolo Montero (que o tinha na sua etapa juventina). Estou orgulhoso por levar o número 4 e espero fazer grandes coisas aqui", disse.

Quanto aos seus ídolos, o holandês rendeu-se às figuras de Fabio Cannavaro, ex-jogador da Juventus e do Real Madrid, entre outras equipas.

"Ao ser um defesa e ao ter 6 ou 7 anos em 2006, admirava o Fabio Cannavaro. Em 2006 ganhou o Mundial e a Bola de Ouro. Na altura era um grande fã seu. E era fã da Juventus quando era pequeno", explicou.

E não hesitou em reconhecer as suas ambições máximas: "Há três competições, a Série A, a Taça de Itália e a Liga dos Campeões. São quatro se acrescentamos a Supertaça. Queremos ganhar tudo, um clube como a Juventus sempre quer ganhar tudo e isso não vai mudar este ano".