EFELondres

O diretor de saúde pública de Liverpool, Matthew Ashton, disse que o aumento de casos de coronavírus na cidade pode estar influenciado pela realização do jogo da Liga dos Campeões contra o Atlético de Madrid.

O encontro contou com a presença de cerca de 3.000 adeptos "colchoneros" e foi disputado apenas uns dias antes do Governo de Espanha decretar estado de alarme no país.

Segundo dados do Governo britânico, a 20 de março havia apenas 20 casos de coronavírus em Londres, um número que se multiplicou até mais de 300 menos de duas semanas depois.

Em declarações ao jornal britânico The Guardian, Ashton explicou que jogar o encontro não foi a decisão correta, mas acrescentou que não foi um erro cometido de propósito e que talvez nessa altura ainda não se compreendesse a gravidade da situação.

O jogo esteve perto de ser à porta fechada até à noite anterior ao jogo, quando os diferentes organismos envolvidos decidiram que este devia ser disputado em condições normais.

O Atlético de Madrid conseguiu o seu lugar nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, embora o resto da competição esteja em suspenso e ainda não se saiba como é que a UEFA vai proceder com o futuro desta edição.