EFEBerlim

O Borussia de Dortmund espera para este ano fiscal perdas no valor de 45 milhões de euros devido às repercussões da pandemia de coronavírus, que obrigou o clube alemão a retirar as suas previsões iniciais.

No seu último relatório de negócios, o Dortmund tinha feito um prognóstico de lucros pelo décimo ano consecutivo, estimados à volta dos 5 milhões de euros.

A 16 de março, o clube declarou essa estimativa inválida, e esta segunda anunciou o seu prognóstico de perdas através de uma comunicação ad hoc aos acionistas.

O Dortmund tem o maior estádio da Alemanha, com capacidade para 81.365 espectadores, pelo que se viu especialmente afetado por ter que terminar a época à porta fechada.

Além disso, a pandemia levou a uma queda nas receitas de patrocínio.

A estimativa de perdas não considera possíveis movimentos no mercado de transferências que podem alterar o balanço, aumentando ou diminuindo a dívida.

Este último cenário é pouco provável devido à situação atual do mercado, pois o Dortmund tem alguns jogadores pretendidos por grandes clubes, como Earling Haaland ou Jadon Sancho.

Haland foi declarado intransferível, enquanto o diretor administrativo Hans Joachum Watzke disse estar aberto a negociar se Sancho tiver desejos de sair e um clube fizer uma oferta interessante.

No entanto, Watzke também avisou que não fará descontos devido ao coronavírus e que, de momento, não vê nenhum clube em condições de pagar o que Dormund exigiria por Sancho.