EFELondres

Bernie Ecclestone, ex-dirigente da Fórmula Um, disse que levaria um tiro "por Putin" e que o presidente russo, relativamente à guerra da Ucrânia, está a fazer "o que considera ser correto para a Rússia".

"Levaria uma bala por Putin", disse Ecclestone numa entrevista com a ITV. "O que Putin está a fazer é o que considera ser correto para a Rússia. É um homem de negócios, como eu, e às vezes cometemos erros. Quando comete um erro, tem que o tentar emendar e conseguir o melhor disso".

Ecclestone criticou também o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. "Essa pessoa na Ucrânia, acho que era um cómico, pelo que vejo, quer continuar a ser", acrescentou.

A Fórmula Um, da qual Ecclestone não faz parte desde 2017, quando a Liberty Média comprou o negócio, desmarcou-se das suas declarações e disse em comunicado que são apenas "as suas opiniões" e que contrastam com "os valores modernos do desporto".