EFECopenhaga

A estátua do avançado sueco Zlatan Ibrahimovic e uma das suas casas na Suécia foram vandalizadas nas últimas horas depois de anunciar que se tornou no co-propietário do Hammarby, rival do Malmö, o clube onde deu início à carreira.

A estátua de bronze de quase 3 metros situada entre os dois estádios de futebol do Malmö (sul), inaugurada no mês passado, foi pintada ontem à noite com spray branco e atacada com bengalas, além de aparecer escrita a frase "Morre, cigano", segundo avançam esta quinta-feira vários meios suecos.

O próprio jogador, nascido e crescido em Malmö mas de origem bósnio-croata, viajou há um mês desde os Estados Unidos, onde jogou nas duas últimas épocas, à sua cidade natal para inaugurar a estátua, um presente da Federação Sueca por ser o melhor marcador da história da seleção nacional.

A estátua foi vedada e está agora protegida por um segurança, informou o tablóide "Aftonbladet".

Uma casa que a estrela sueca, de 38 anos, possui no centro de Estocolmo sofreu também ataques: atiraram-lhe arenque fermentado à porta principal, na qual alguém pintou a palavra "judas".

Fãs do Malmö já tinham mostrado ontem na imprensa sueca e nas redes sociais o seu descontentamento com a decisão do jogador de adquirir cerca de 25% do Hammarby, um clube de Estocolmo e rival da equipa na qual "Ibra" se deu a conhecer duas décadas atrás.

Ibrahimovic sempre se mostrou muito unido à sua cidade natal, embora tenha negado publicamente em várias ocasiões que iria voltar a jogar no futebol sueco e no Malmö.

O ex-jogador do Ajax, Milan, Inter, Juventus, PSG, Barcelona e Manchester United anunciou há umas semanas a sua saída do Galaxy, mas ainda não revelou o seu próximo destino.