EFEBarcelona

A juíza de Barcelona que investiga o caso "BarçaGate" deixou esta terça-feira em liberdade provisória o ex-presidente de FC Barcelona Josep Maria Bartomeu e a sua mão direita, Jaume Masferrer, que optaram por não prestar declarações em tribunal, como já tinham feito esta segunda nas instalações da polícia.

Segundo o Tribunal Superior de Justiça da Catalunha (TSJC), a juíza Alejandra Gil decretou liberdade para ambos dirigentes, investigados por um delito de gestão desleal e outro por corrupção.

A juíza acordou também levantar o segredo de justiça associado ao caso, prolongado por seis vezes, no qual o Barcelona não aparece como investigado mas sim como lesado, segundo confirmaram fontes jurídicas à Agência EFE.

O "Barçagate" investiga se uma empresa contratada pelo Barcelona terá supostamente realizado uma campanha de desprestígio nas redes sociais com alvo indivíduos e entidades contrárias à direção de Josep Maria Bartomeu.