EFELondres

Ferrán Soriano, diretor-executivo do Manchester City, disse que as acusações da UEFA, que castigou o clube com dois anos fora das competições europeias, são "falsas" e que farão todo o possível para o demonstrar.

O City foi sancionado na semana passada pela UEFA com dois anos sem poder disputar competições europeias, além de 30 milhões de euros de multa por romper as regras do 'fair play' financeiro.

Em declarações facilitadas pelo próprio clube, Soriano explicou que sabe que têm o apoio dos adeptos e que o clube passou "por muitos desafios ao longo dos anos".

"Este é só outro desafio. Vamos estar juntos, passar por isso e não decepcionar a nossa gente. O mais importante que tenho a dizer hoje é que as acusações não são verdadeiras. Simplesmente não são verdadeiras. Os adeptos podem estar seguros de duas coisas. O primeiro é que as acusações são falsas. A segunda é que faremos todo o possível para o demonstrar", disse o diretor.

Soriano também enfatizou que o dono do City não colocou dinheiro neste clube "que não tenha sido apropriadamente declarado".

"Somos um clube sustentável, com lucros, sem dívida, as nossas contas têm sido examinadas muitas vezes, por auditores, por reguladores, por investidores, e foi muito claro", disse.

"A minha esperança é que isto esteja resolvido no começo do verão", acrescentou.