EFEMadrid

O ex-futebolista português Luís Figo, antigo jogador do Real Madrid, Barcelona e Inter de Milão, recordou a sua saída do Barça para o Real Madrid no verão do ano 2000, há 20 anos atrás, uma operação que agora seria "mais difícil", embora tenha dito que "nada é impossível no futebol".

"Talvez seja mais difícil, mas nada é impossível no futebol. Quem ia dizer há 20 anos que se ia pagar tanto por um jogador? As pessoas não se recordam tanto que eu cheguei ao Barça para substituir o Laudrup, que acabava por assinar pelo Real Madrid", explicou Figo em declarações ao 'Club del Deportista'.

O antigo jogador português considerou que os clubes estão agora "a tomar mais precauções" com "cláusulas de rescisão muito elevadas", embora tenha admitido que, no seu caso, nunca pensou que a cláusula de rescisão que tinha na altura, que era de 10.000 milhões de pesetas (60 milhões de euros), fosse paga.

"Sempre pensei que ninguém poderia pagar a minha cláusula", admitiu o jogador português, que se lembrou do seu primeiro jogo no Camp Nou com a camisola merengue. "Não se pode negar que ia ser especial, mas não com as dimensões que adquiriu", recordou Figo.

O extremo português considerou que o tempo do Madrid dos 'Galácticos' foi "uma época muito bonita", na qual ganhou a Bola de Ouro, um troféu que nessa altura já era "mais difícil" porque havia mais jogadores na disputa.

"Comparando o presente com 15 anos atrás, a diferença é que havia muito mais candidatos (não apenas Messi e Cristiano) para conseguir esse magnífico prémio. Era muito difícil vencê-lo. Ainda é, mas quando se tem uma escolha de 10 ou 15 possíveis, bem, é diferente, muito mais complicado", explicou.