EFESófia

O Governo búlgaro exigiu esta terça-feira a demissão do presidente da União Búlgara de Futebol, Borislav Mihaylov, devido aos insultos racistas que parte do público búlgaro proferiu contra vários jogadores ingleses durante o jogo de classificação para o Europeu da noite de segunda-feira.

"Depois dos incidentes de ontem, o primeiro-ministro (o populista Boiko Borisov) ordenou que se cancelem todas as relações entre o Governo, incluídas as financeiras, até à demissão do presidente da União Búlgara de Futebol", anunciou o ministro do Desporto búlgaro, Krasen Kralev, segundo informa a emissora Nova TV.

O jogo entre a Bulgária e a Inglaterra, jogado na noite de segunda em Sófia, foi interrompido duas vezes pelo árbitro devido a ataques racistas por parte do público local.

Os ultras búlgaros fizeram saudações nazis, cantaram insultos racistas e agitaram camisolas com as palavras No Respect.

O Estádio Nacional Vasil Levski de Sófa, que já tinha visto a sua capacidade reduzida em 5.000 espectadores por incidentes similares no passado, foi evacuado em algumas zonas, permitindo que o encontro chegasse ao seu fim com uma vitória inglesa por 0-6.