EFEParis

O ministro francês da Administração Interna, Gérald Darmanin, atacou esta quinta-feira a "dignidade seletiva" de futebolistas como Antoine Griezmann e Kylyan Mbappé, que criticaram a polícia por uma detenção violenta de um produtor musical negro.

"Alguns neste país têm a dignidade seletiva", disse o ministro à emissora RTL, que criticou os futebolistas por não terem reagido à violência sofrida pela polícia numa manifestação no passado fim de semana.

Darmanin respondeu desta forma a uma pergunta sobre as estrelas mediáticas do desporto, mas sem referir diretamente os jogadores que partilharam mensagens de condenação nas redes sociais depois da difusão do vídeo da agressão a um produtor musical na semana passada.

O ministro recordou que os agentes que protagonizaram estes incidentes vão ser expulsos do corpo devido ao seu comportamento "desproporcionado e inqualificável".

O ministro da Administração Interna, representante da ala dura dentro do Governo francês, já tinha mostrado desagrado com as reações de Griezmann e Mbappé.

Depois da manifestação do passado sábado contra a sua lei de segurança, que acabou com confrontos entre radicais e polícia, o ministro disse ter ficado surpreendido que os futebolistas não tivessem condenado as agressões sofridas por alguns agentes.

"França magoa-me quando não oiço nenhuma reação de futebolistas milionários sobre os 98 polícias feridos no sábado", disse então, numa resposa direta a Griezmann, que partilhou uma mensagem no Twitter a dizer que "França o magoava" ao ver as imagens da agressão ao produtor musical.

Depois, Mbappé, outro dos mais emblemáticos integrantes da seleção francesa, enviou uma mensagem de "STOP AO RACISMO".