EFEParis

O torneio de ténis Roland Garros vai ser disputado com uma capacidade máxima de mil pessoas por dia, incluindo participantes e organizadores, em aplicação de novas medidas do Governo francês para evitar a propagação do coronavírus.

O primeiro-ministro de França, Jean Castex, disse esta quinta-feira que o número de pessoas presentes no complexo do Grand Slam parisiense serão mil, e não 5 mil, como previsto anteriormente. Com isso, frustrou as expectativas do diretor de Roland Garros, Guy Forget, que esperava poder receber mais público.

Numa entrevista ao canal de televisão "France 2", Castex avisou que o torneio de ténis iria receber o mesmo tratamento de outros eventos e espaços, com as mesmas regras. O público máximo permitido para espetáculos, por exemplo, é também de mil pessoas.

"Não há razão para não fazermos o mesmo que noutro lugar", acrescentou o primeiro-ministro em resposta a Forget, que horas antes tinha argumentado que o tamanho das instalações de Roland Garros é suficiente para comportar 5 mil pessoas sem qualquer risco à saúde.

O ministro da Saúde, Olivier Véran, anunciou na quarta-feira uma série de medidas restritivas no intuito de evitar a propagação do vírus SARS-CoV-2, especialmente nas áreas onde há mais infeções e mais pessoas doentes.

Paris e a sua região metropolitana estão entre as 11 cidades do país localizadas na chamada "zona de alerta reforçado" onde, entre outras coisas, nenhum evento com mais de mil pessoas pode ser organizado desde o último sábado.