EFERedação de desporto

O norte-irlandês Harry Gregg, ex-guarda-redes do Manchester United e um dos heróis da tragédia de Munique (Alemanha), ocorrida em 1958, morreu esta manhã aos 87 anos de idade devido uma doença de longa duração.

A informação do falecimento foi divulgada pela fundação que leva o nome do antigo jogador, que estava internado no Causeway Hospital, na cidade de Coleraine, na Irlanda do Norte.

Gregg ficou eternizado como um grande guarda-redes mas também por ter salvado várias pessoas durante a queda do avião que transportava alguns integrantes do plantel do United em 1958, entre eles um bebé, e colegas como Bobby Charlton e Jackie Blanchflower.

O ex-guarda-redes foi jogador dos "Diabos Vermelhos" durante cerca de nove anos, de 1957 a 1966. Ao todo, o norte-irlandês participou em 247 jogos pelo clube, um deles apenas três dias depois do trágico acidente ocorrido em Munique, no qual morreram 23 pessoas.

Além disso, Gregg brilhou com a camisola da seleção do seu país, tendo sido eleito o melhor guarda-redes do Mundial de 1958, onde a Irlanda do Norte chegou aos quartos de final.