EFEMadrid

A francesa Stephanie Frappart, a ruandesa Salima Mukasanga e a japonesa Yoshimi Yamashita, junto à assistente brasileira Neuza Back, a mexicana Karen Díaz Medina e a americana Kathryn Nesbitt, foram nomeadas pela FIFA para estarem no Catar 2022, que será o primeiro Mundial masculino a contar com árbitras.

Frappart, de 38 anos e internacional desde 2011, é a árbitra mais reconhecida. Depois de apitar os maiores torneios femininos, incluídas finais de mundiais, tornou-se em 2019 na primeira mulher encarregada de arbitrar a final da Supertaça europeia masculina (Liverpool-Chelsea), e em 2020 foi a primeira a comandar um jogo da Liga dos Campeões (Juventus-Dínamo de Kiev).

A francesa foi também foi a primeira árbitra num jogo do Europeu masculino, onde foi assistente do neerlandês Danny Makkelie no Turquia-Itália que inaugurou o torneio.

Mukasanga foi a primeira mulher a apitar um jogo da CAN deste ano (Zimbabué-Guiné) depois de ter sido a quarta árbitra no jogo Guiné-Malaui, enquanto Yamashita esteve encarregada no passado mês de abril do jogo Melbourne City-Jeonnam Dragons da Champions asiática.