EFELondres

O indulto concedido ao Manchester City terá consequências em terceiros devido ao lugar de qualificação para a Liga dos Campeões que já não está livre, o que pode afetar o futuro de alguns clubes.

Um deles é o Wolverhampton Wanderers, que confiava numa ratificação da sanção de dois anos fora das competições europeias imposta ao City que por sua vez lhes permitiria entrar na 'Champions'.

Com o Manchester City na 'Champions' no próximo ano depois do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) anular o castigo, o quinto lugar da Premier League já não dá acesso à principal competição continental.

Se o Wolves não conseguir entrar na Liga dos Campeões com o quarto lugar que têm atualmente, a quatro pontos de distância com nove em jogo, algumas estrelas poderão decidir sair do Molineux Stadium, entre elas o mexicano Raúl Jiménez, para poder jogar a melhor competição de clubes do mundo.

O futebolista de 29 anos está a fazer a melhor época da sua vida, com 16 golos na Premier League, o maior registo para um jogador mexicano na história da competição inglesa, ultrapassando o seu compatriota Javier 'Chicharito' Hernández.

Jiménez, que tem contrato com o Wolves até 2023, vai receber ofertas este verão, e a possível presença na 'Champions' pode ser um fator determinante no futuro imediato da sua carreira.

A Liga dos Campeões é uma competição que Jiménez já conhece, pois disputou-a durante quatro épocas quando vestia a camisola do Benfica.

Ao todo, o mexicano disputou 22 jogos na Liga dos Campeões, nos quais marcou quatro golos e fez três assistências.