EFELisboa

O presidente da Liga Portugal, Pedro Proença, assegura que se opõem de forma "frontal" a uma Superliga europeia, enquanto o presidente do Porto, Jorge Pinto da Costa, descarta a participação dos "dragões" nesta competição.

Segundo escreveu Proença no Facebook, "a hipótese da criação de uma Superliga europeia, pensada e desenhada por uma pequena elite com intenções exclusivas, é algo a que nos continuaremos a opor frontalmente".

Para o presidente da Liga, esta competição "colocaria em causa todos os alicerces fundamentais em que o futebol sempre se desenvolveu".

Além disso, ressaltou: "Seguiremos firmes e unidos na defesa das ligas nacionais, do mérito desportivo e de modelos que contribuam para o crescimento de todo o ecossistema do futebol e não apenas de uma reduzida e egoísta elite".

Por sua parte, o presidente do Porto, numa entrevista divulgada esta segunda-feira pelo clube sobre a atualidade da equipa, reconheceu que "houve contactos informais de alguns clubes", sem revelar quais, mas não lhes deram "grande atenção" por diversas razões.

Uma delas, argumentou, é que "a União Europeia (UE) não permite que haja um circuito fechado de provas como a NBA".

Além disso, recordou: "Estando a Federação Portuguesa de Futebol contra isso e fazendo parte da UEFA, não podemos participar numa coisa contrária aos princípios e regras da UE e da UEFA".

Pinto da Costa mostrou as suas "dúvidas" de que a Superliga vá em frente e que, mesmo que o faça, continuará a haver competições da UEFA.