EFEBuenos Aires

O ídolo do futebol da Argentina Diego Maradona reivindicou a soberania do seu país sobre as Ilhas Malvinas esta quinta-feira, 38 anos após a guerra com o Reino Unido pelo arquipélago do Atlântico Sul, e prestou homenagem aos veteranos.

"A honra e a glória é tudo para vocês, rapazes. Ainda temos orgulho. As Malvinas são argentinas", escreveu o agora treinador do Gimnasia La Plata na sua conta no Instagram.

Maradona acompanhou a publicação com uma foto de antigos combatentes com a legenda: "2 de abril, Dia do Veterano e dos Caídos na Guerra das Ilhas Malvinas".

Em 2 de abril de 1982, a ditadura cívico-militar que então governava a Argentina lançou uma operação para recuperar as ilhas que eram administradas por Londres desde 1833, dando início a uma guerra que durou até à rendição do país sul-americano, a 14 de junho do ano seguinte. O conflito deixou 649 argentinos, 255 britânicos e três nativos da ilha mortos.

A maioria dos comentários na publicação de Maradona lembra que quatro anos depois, nos quartos de final do Mundial de 1986, no México, a Argentina venceu a Inglaterra por 2-1 com os dois golos mais memoráveis da carreira do camisola 10: o chamado 'Golo do Século', em que saiu a driblar desde a defesa, e 'A Mão de Deus", em que marcou de maneira irregular.