EFESão Paulo

A mulher que acusa o avançado Neymar de violação ficou sem o seu terceiro advogado em menos de duas semanas, depois do advogado Danilo Garcia de Andrade ter anunciado na véspera que deixou o caso após um mal-entendido com a sua cliente.

Garcia de Andrade afirmou na noite de segunda-feira numa entrevista ao canal SBT que abandonou o caso depois da sua cliente o acusar de a ter roubado o tablet onde supostamente tinha a segunda parte de um vídeo que, segundo ela, incriminaria Neymar.

Najila Trindade Mendes de Souza, de 26 anos, alegou que alguém entrou de forma ilegal na sua casa de São Paulo e lhe roubou um relógio, dinheiro e o tablet onde se encontrava o vídeo gravado por ela própria a 16 de maio, um dia depois da suposta agressão sexual num hotel da capital francesa.

No primeiro minuto do vídeo, vazado à imprensa, pode-se ver a modelo a bater em Neymar enquanto o acusa de a agredir e deixá-la sozinha no hotel na noite anterior.

Nos outros seis minutos do vídeo, de acordo com a jovem, haveria elementos que comprovariam que o astro brasileiro a agrediu sexualmente a 15 de maio.

De acordo com o advogado, a jovem acusou-o durante uma reunião de ter planeado a invasão a sua casa e afirmou que o localizador indicava que o dispositivo se encontrava no seu escritório.

"Ela foi muito enfática e um cliente não deve questionar um advogado e ainda mais a um advogado que sai de uma esquadra carregando-a nos braços", como aconteceu na sexta-feira passada depois da jovem ter prestado declarações durante seis horas à polícia, afirmou o advogado.

Danilo Garcia é o terceiro advogado a deixar o caso da modelo, depois de Yasmin Portela Abdalla e José Edgard Bueno.

A jovem acusou no passado 31 de maio o astro da seleção brasileira de a ter violado num hotel de Paris quinze dias antes, enquanto Neymar o nega e defende que a relação sexual entre ambos foi consentida.