EFERoma

O olheiro italiano Gianni Di Marzio revelou em entrevista à Agência Efe que esteve muito perto de levar Cristiano Ronaldo para a Juventus em 2002, mas a negociação não foi concretizada porque o chileno Marcelo Salas não aceitou jogar pelo Sporting.

"Indiquei Cristiano para o mercado italiano quando eu trabalhava na Juventus. Fui ver um jogo entre Sporting e Belenenses em outubro de 2002, ele era o camisa 18", recordou Di Marzio, que trabalhou no departamento de prospecção da Juve entre 2001 e 2006.

O alvo inicial do olheiro era Ricardo Quaresma, também dos 'Leões', mas naquele jogo que encantou foi Cristiano, que tinha 17 anos e disputava o seu terceiro jogo oficial como profissional.

"Liguei para Turim e pus por escrito que seria o melhor jogador do mundo, obviamente depois de Maradona. Negociei, levei Cristiano a Turim em 2002 para assinar pela Juventus, mas Salas não aceitou a troca", lembrou.

Di Marzio, que treinou o Napoli na década de 70, disse que Salas não quis sair "por poucos milhões" e rememorou que meses depois ele retornou ao River Plate. "E assim a Juventus perdeu Cristiano Ronaldo", declarou o olheiro, que garantiu que o empresário do craque, Jorge Mendes, conhece bem essa história.