EFESófia

A polícia búlgara deteve quatro adeptos de futebol pelos incidentes racistas da passada segunda-feira no jogo Bulgária-Inglaterra (0-6) em Sófia, informou esta quarta-feira o ministério do Interior do país balcânico.

São esperadas mais detenções ao longo do dia, sobretudo de suspeitos que se encontram fora da capital, acrescentou o ministério em comunicado.

O encontro, que terminou com a pior derrota da Bulgária num jogo oficial jogado em casa, foi interrompido duas vezes na primeira parte devido aos insultos racistas dos fãs locais contra alguns jogadores negros de Inglaterra.

Além disso, nas imagens de televisão vê-se vários adeptos búlgaros a fazer a saudação nazi.

O presidente da Bulgária, Rumen Radev, disse esta quarta-feira à imprensa que este incidente é muito desagradável para a Bulgária, lembrando que o país salvou os seus 50.000 judeus durante a Segunda Guerra Mundial

O ministério dos Negócios Estrangeiros chamou esta terça-feira a embaixadora do Reino Unido em Sófia para assegurar-lhe que a Bulgária não é um país racista, enquanto o Governo búlgaro expressou o seu mal-estar por algumas manchetes da imprensa britânica, que classificaram os búlgaros como "uma vergonha" ou "idiotas".