EFELondres

O Presidente Executivo da Associação de Futebolistas (PFA), Gordon Taylor, afirmou que terminar a época, independentemente do tempo que demorar, é a prioridade da Premier League.

"Está no topo da nossa agenda", disse Taylor em declarações à BBC, nas quais também apelou aos agentes envolvidos no jogo, especialmente as televisões, para que fossem "flexíveis".

A Premier League está há várias semanas parada, sem data específica para voltar, depois do regresso previsto para 30 de abril ter sido adiado indefinidamente, enquanto se espera que a crise do coronavírus passe.

Outra questão que domina o futebol inglês é a dos salários dos jogadores. A Premier League pediu aos clubes que reduzissem o salário dos seus jogadores em 30%, uma decisão criticada pela PFA por entender que iria prejudicar o sistema de saúde britânico.

"Só posso repetir que os jogadores estão conscientes das suas responsabilidades sociais e estão preparados para dar um passo em frente. Os jogadores querem ajudar a caridade e doar, mas não querem que o seu dinheiro seja usado para coisas com as quais não concordaram", disse Taylor.

Para o presidente da PFA, a melhor forma de resolver este problema é cada clube negociar diretamente com os jogadores, um processo que seria mais dispendioso e longo.