EFERoma

O Governo de Malta confirmou hoje que seis países europeus -Alemanha, França, Irlanda, Luxemburgo, Portugal e Roménia- vão acolher os 356 migrantes que estão a bordo do barco humanitário Ocean Viking, fretado pela Médicos sem Fronteiras (MSF) e a SOS Méditerranée.

O primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, informou nas redes sociais que "após um debate com a Comissão Europeia e vários Estados membros, a saber França e Alemanha, Malta acordou ser parte da solução para a paralisia do Ocean Viking, que conta com 356 pessoas a bordo, sem prejudicar a sua posição legal".

O líder explicou que Malta vai transferir estas pessoas a navios da sua marinha, fora de águas territoriais, e que os vão levar "a terra firme", onde serão realocados entre os seis países referidos.

"Nenhum vai ficar em Malta", apontou o primeiro-ministro.

A SOS Méditerranée advertiu no passado 21 de agosto que a embarcação precisava de uma solução "rápida" para desembarcar os seus 356 imigrantes -entre eles 103 menores, a maioria deles não acompanhados- e evitar que a situação a bordo se complicasse.

O Ocean Viking efetuou quatro resgates sucessivos entre os passados 9 e 12 de agosto, e desde então esperava a uma distância equidistante de Itália e Malta que algum país europeu lhe autorizasse um porto no qual poder desembarcar estas pessoas.