EFEAdis Abeba

O Escritório do primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, galardoado esta sexta-feira com o Prémio Nobel da Paz de 2019, considerou que é um "orgulho" e o "reconhecimento eterno" aos ideais de "unidade, cooperação e coexistência mútua".

"Este reconhecimento é um testemunho eterno aos ideais do Medemer (em amárico "permanecer juntos" ou "sinergia") de unidade, cooperação e coexistência mútua que o primeiro-ministro tem permanentemente liderado", expressou hoje o Escritório em comunicado.

Ahmed vai receber o prémio "pelos seus esforços por conseguir a paz e a cooperação internacional e, em particular, pela sua decisiva iniciativa de resolver o conflito fronteiriço com a vizinha Eritréia", segundo afirmou hoje o Comité Nobel da Noruega.