EFEBruxelas

Apenas 30 das 600 empresas europeias que cotam no índice STOX Europe 600 têm paridade nos seus órgãos de administração, embora a presença de mulheres nos conselhos de administração nessas companhias tenha aumentado para 33%, de acordo com um relatório publicado esta quarta-feira pela European Women on Boards.

"Embora a diversidade de género a nível da direção tenha melhorado, as mulheres continuam sub-representadas nos cargos de decisão", refere o índice de diversidade de género desenvolvido pela associação sem fins lucrativos com o apoio da UE.

Embora um terço das empresas (173) tenha 40% ou mais de mulheres nos seus conselhos de administração, a presença feminina cai para 27% quando são tidos em conta os cargos de liderança em geral, incluindo comités executivos ou de gestão.

Apenas 17% das empresas inquiridas (99 companhias) têm uma mulher nos cargos mais elevados -CEO, CFO ou COO- e destas, apenas 28 têm uma mulher como CEO (5%).

Em cargos executivos -o segundo nível de gestão- a presença de mulheres cai para uma média de 16%.

Assim, segundo o índice, apenas 30 das empresas que cotam na STOXX Europe 600 têm um órgão diretivo com paridade de género, enquanto 53 destas são fortemente dominadas por homens e três não têm nenhuma mulher em cargos de liderança.

Das 20 empresas que lideram o ranking de paridade, sete são francesas, cinco são suecas e cinco são britânicas, enquanto as mais baixas da tabela são na sua maioria suíças (dez das 20 piores colocadas) e alemãs (quatro).

As empresas espanholas analisadas (26) estão no fim do índice de diversidade de género, abaixo da média europeia (0,46 pontos num índice que coloca a ausência de mulheres em 0 e a paridade em 1) e apenas à frente das do Luxemburgo, Suíça e Polónia.