EFEWashington

O ator Alec Baldwin, que acidentalmente matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins durante filmagens nos Estados Unidos, foi avisado de que a arma que usou não tinha balas, de acordo com o depoimento em poder do tribunal do condado de Santa Fe, no estado de Novo México.

"Arma fria", gritou o diretor assistente de produção Dave Halls enquanto entregava a arma a Baldwin, como são conhecidas as pistolas sem munição real na linguagem cinematográfica, segundo os documentos.

Contudo, a arma estava carregada, e quando o ator disparou acabou por matar Halyna Hutchins acidentalmente, e ferir o realizador do filme, Joel Souza.

Baldwin estava a filmar "Rust" numa herdade perto de Santa Fe, no Novo México (sul dos Estados Unidos).

Joel Souza disse estar "destruído" pela morte de Halyna Hutchins, lembrando que era uma profissional "incrivelmente talentosa".

O incidente ocorreu na última quinta-feira, no Bonanza Creek Ranch, um cenário utilizado por muitas produções de Hollywood.

As autoridades descartam por enquanto acusações criminais e estão a recolher depoimentos da equipa do filme para esclarecer os factos.

A empresa responsável pelo filme, na qual Baldwin atua como protagonista e produtor, divulgou uma carta que dizia que toda a equipa está "arrasada" com o ocorrido e prometeu oferecer ajuda psicológica a todos os envolvidos nas filmagens, que serão suspensas indefinidamente.

Na sexta-feira foi divulgado que vários funcionários das filmagens já tinham protestado contra as más condições de trabalho e a falta de segurança.