O Banco Central Europeu (BCE) vai participar no próximo sábado no desfile do Dia do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais), realizado em Frankfurt, conhecido como o Christopher Street Day.

O BCE informou hoje no seu website que alguns trabalhadores da entidade monetária "vão marchar sábado no desfile"·

Esta é uma iniciativa da Rede Arco-íris do BCE (ECB Rainbow Network), uma das redes de empregados que ajudam a impulsionar um meio de inclusão no trabalho.

O presidente do BCE, Mario Draghi, comentou que o BCE quer "ser uma instituição mais diversa, o que significa também uma instituição que é mais flexível no seu pensamento e mais efetiva na sua tomada de decisões".

O BCE colocou na sua sede central duas bandeiras arco-íris, cores que o grupo LGBT utiliza como símbolo, junto às bandeiras da Europa, de doze estrelas douradas num círculo sobre fundo azul.

"No BCE acreditamos que a diversidade cria excelência, mais equipas diversas significam uma categoria mais ampla de opiniões, que levam a resultados melhores e mais robustos", afirma a entidade no seu website.

O BCE acrescenta que pretende ser uma organização na qual "a diversidade é bem-vinda e prezada em todas as suas facetas devido à riqueza que oferece".

"Permitir a diversidade é vital para que as nossas instituições proporcionem o melhor resultado possível para os nossos funcionários e para a Europa", afirma o BCE.

Estas facetas de diversidade no BCE incluem género, nacionalidade, religião, orientação sexual, origem étnica, idade, origem cultural e deficiência.