EFELondres

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson defendeu nesta quinta-feira que o seu governo deveria concentrar-se em "questões prioritárias" como a pandemia, em vez de abordar a última polémica que mancha a sua reputação, aquela que questiona o financiamento das obras da sua residência em Downing Street.

O assunto vai ser objeto de investigação por parte da Comissão Eleitoral Britânica -a agência independente que controla como os partidos políticos são financiados- devido às dúvidas geradas sobre como foi realizada a reforma no apartamento que Johnson ocupa junto à sua companheira, Carrie Symonds , e o seu filho, Wilfred.

A comissão sustenta que há "fundamentos razoáveis ​​para suspeitar de que pode ter havido uma ou mais infrações" das regras nas obras para reformar a casa do chefe do Executivo, que poderia ter recebido um empréstimo não declarado.

A investigação irá determinar se alguma transação relacionada a estas se enquadra no regime regulado por aquela Comissão e se os financiamentos foram debidamente comunicados.