EFELondres

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson revelou esta terça-feira que "prepara um plano" para que o Big Ben, o sino da famosa torre do relógio das Casas do Parlamento em Londres, toque no dia 31 de janeiro para marcar a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Na sua primeira entrevista após a vitória nas últimas eleições gerais, Johnson também disse à BBC que considera "enorme, epicamente provável" conseguir um bom acordo comercial com a UE dentro do prazo de negociação previsto para 31 de dezembro.

Embora se deva estar sempre preparado "para um fracasso total do senso comum", disse, o primeiro-ministro britânico mostrou-se "muito, muito, muito confiante" de que será possível alcançar esse consenso, e apontou que o objetivo não é tanto um pacto mas sim "construir uma nova grande parceria".

Sobre a possibilidade do Big Ben, que está em obras e rodeado de andaimes, toque a 31 de janeiro, algo desejado por muitos apoiantes do "brexit", Johnson admitiu que "é caro", mas que o Governo está a analisar como poderia ser financiado.

De acordo com a BBC, isto poderia incluir uma campanha de angariação de fundos para conseguir as 500.000 libras (cerca de 582.000 euros) que custaria habilitar a torre do sino com um piso temporário e outras medidas de segurança para fazer o sino funcionar.

Uma comissão da Câmara dos Comuns concluiu numa reunião na segunda-feira que o Big Ben não poderia ser ouvido na noite do "brexit" porque é difícil justificar o gasto de meio milhão de libras numa única ocasião.