EFEBrasília

O Governo do Distrito Federal de Brasília declarou esta segunda-feira o estado de "calamidade pública" devido à pandemia de coronavírus, que se agravou na capital brasileira, onde já deixou cerca de 550 mortes e 40.000 contágios.

"Fica declarado o estado de calamidade pública no âmbito do Distrito Federal, como consequência da pandemia causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2", afirmou o governador de Brasília, Ibaneis Rocha, num decreto publicado no Diário Oficial.

Na prática, a declaração do estado de "calamidade pública" é uma medida puramente administrativa que dá às autoridades locais maior liberdade na gestão dos seus orçamentos e lhes permite ter acesso, de forma rápida, aos recursos do Governo central para fazer frente a uma emergência.

O Distrito Federal foi a primeira região do Brasil a adotar, em meados de março, medidas de isolamento social para conter a propagação do patógeno através do encerramento de escolas e da suspensão de eventos públicos.

Contudo, foi também um dos primeiros a relaxar o distanciamento e permitir a reabertura gradual de empresas não essenciais desde o final de maio, o que levou a um aumento do número de pessoas infetadas pela COVID-19 e, portanto, das hospitalizações.

Segundo o texto, a medida continuará em vigor enquanto "os efeitos da pandemia persistirem" no Brasil, o segundo país do mundo mais afetado pelo vírus, que já registou 57.622 mortes e 1.344.143 contágios, de acordo com o último balanço do Ministério da Saúde.