EFEBuenos Aires

O ministro da Saúde da cidade de Buenos Aires, Fernán Quirós, alertou esta sexta-feira para o "risco epidemiológico" com as multidões vividas esta quinta no velório e funeral de Diego Maradona, embora o tenha descrito como "compreensível" devido à importância do futebolista na Argentina.

"O que vimos ontem decididamente não foi bom, claro que acrescenta um risco epidemiológico à situação metropolitana, é também verdade que tem alguma atenuação porque aconteceu tudo em espaço aberto, mas é definitivamente a imagem que temos de trabalhar para evitar", assinalou esta sexta durante o relatório matinal, no qual detalhou que as possíveis consequências serão apenas conhecidas nas próximas duas semanas.

A capital argentina vive há meses uma descida no ritmo de contágios de coronavírus, e embora continue a ser a segunda jurisdição com mais positivos, os principais surtos deslocaram-se para outros locais, mas agora as autoridades estão preocupadas com o que aconteceu ontem, quando dezenas de milhares de pessoas se aglomeraram à volta da Casa Rosada, sede do Governo do país, para se despedirem de Maradona.

Apesar da maioria dos assistentes ter usado máscara, era impossível manter uma distância social, especialmente no final do dia, quando se registaram incidentes na multidão, embora Quirós veja o que aconteceu como "compreensível" devido à carga emocional da morte de um dos maiores heróis argentinos.

"Foi um dia muito especial, um dia muito caro em termos emocionais e sentimentais para todos nós, para o que é ser argentino e pelo que Maradona significa em termos emocionais e racionais. (…) É compreensível a situação num ano tão doloroso, é compreensível o que pudemos ver, mas é definitivamente o que temos de evitar", acrescentou.

O ministro disse que "este tipo de demonstrações deve ser feito com maior distância, com o uso de máscara, com alguns comportamentos e o cumprimento de algumas diretrizes", e assegurou que as possíveis consequências "são avaliadas nos 7 a 14 dias seguintes", nos quais as autoridades da cidade "vão reforçar toda a estratégia de rastreio e teste".