EFELisboa

As cervejeiras podem ser fundamentais na luta contra a Covid-19, embora não precisamente pela produção de cerveja. Pelo menos essa é a opinião de um grupo de fabricantes de cerveja em Portugal, que recolhe milhares de litros do ácido utilizado na limpeza das suas instalações para fabricar desinfectante contra o vírus.

Trata-se de ácido peracético que, dissolvido, é muito poderoso para desinfetar zonas urbanas, veículos, hospitais ou material que possa ter entrado em contacto com o coronavírus, explica à EFE Hugo Santos, proprietário de uma cervejaria de Queluz.

A ideia surgiu de uma conversa entre amigos e, através das redes sociais, tem vindo a ganhar força nas últimas horas, com dezenas de cervejeiros portugueses a juntarem-se à causa.

Até ao momento conseguiram que cerca de trinta cervejeiras do Porto (Norte), Coimbra (Centro), Lisboa e zonas do Sul de Portugal se juntassem à iniciativa.

O objetivo é que os cervejeiros entreguem todo o ácido peracético que têm em estoque para que possa ser usado como desinfetante contra o coronavírus.

De acordo com Santos, um dos contratempos é o transporte do próprio ácido sem ser diluído, pelo que estão à procura de fórmulas seguras.

No seu caso, o ácido peracético que armazena foi entregue no quartel de bombeiros de Queluz, de onde é transferido para centros de saúde, esquadras de polícia, etc.

Até agora já conseguiram, em pouco mais de um dia, ácido peracético criar um total de 200.000 litros de desinfetante.

"Em Espanha os cervejeiros também o usam muito, pelo que se juntarem a nós também podem ajudar bastante", concluiu Hugo Santos.

Tanto o desinfetante como as máscaras estão esgotados nos estabelecimentos do país, onde a polícia sancionou alguns comerciantes que vendiam o gel para as mãos por mais de 25 euros por meio litro de forma irregular.

Portugal, em estado de emergência, registou até agora 6 mortes e mais de 1.000 casos positivos de coronavírus.