EFEBerlim

A Associação de Clubes Europeus (ECA) enviou uma carta à Uefa para ressaltar que nenhum dos seus 232 membros está disposto a participar do novo Mundial de Clubes promovido pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Segundo publicou esta sexta-feira o jornal alemão Süddeutsche Zeitung, a carta foi escrita em termos muito explícitos e assinados por presidentes e vice-presidentes de 15 clubes do continente, entre eles Real Madrid, Barcelona, Bayern de Munique, Juventus, Paris Saint-Germain e Manchester United.

"Somos firmemente contra qualquer potencial aprovação de um Campeonato do Mundo de Clubes reformado neste momento e confirmamos que nenhum clube da ECA irá participar numa competição deste tipo", afirma o texto.

De acordo com a carta, qualquer versão do Mundial "não seria aceitável" para os clubes europeus, dadas "as atuais competições e o calendário de jogo estabelecido até 2024".

Por isso, as equipas europeias solicitam à Fifa que "adie qualquer decisão sobre o Mundial de Clubes" até que as legítimas preocupações e interesses dos clubes europeus sejam atendidas de forma apropriada".

Infantino trabalha há meses neste projeto, que esta sexta-feira será abordado pelo Conselho da FIFA em Miami e que conta com o apoio de investidores asiáticos e árabes, dispostos a desembolsar até 25.000 milhões de dólares (22.100 milhões de euros) para colocá-lo em andamento.

Sobre os planos concretos desta iniciativa, a única revelação feita até agora é que a competição contaria com 24 clubes de todo o mundo e seria realizada a cada quatro anos. A primeira edição aconteceria entre 17 de junho e 4 de julho de 2021.