EFEMadrid

As principais cidades e boa parte dos municípios de Espanha dedicam este ano um orçamento maior à iluminação de Natal, com mais lâmpadas e em mais ruas, bairros e edifícios, para transmitir alegria e, sobretudo, esperança, e para ajudar as empresas locais face às graves consequências socioeconómicas da covid-19.

Para tal, as Câmaras Municipais espanholas aproveitam a poupança resultante da ausência total de celebrações públicas desde março, quando o coronavírus se tornou uma pandemia e Espanha decretou medidas muito restritivas sobre a circulação de pessoas e atividades económicas.

A Iluminaciones Ximénez, uma das empresas mais importantes do setor, assegura à Efe que manteve os contratos com as mais de 200 Câmaras Municipais com as quais trabalha, e está confiante que voltará a faturar novamente os 43 milhões de euros do ano passado e que ultrapassará os 100 milhões de pontos luminosos instalados em todo o país.

A empresa readaptou as criações de luz à situação sanitária para controlar a distância de segurança entre as pessoas e o fluxo de visitantes, enquanto as montagens de luz e som foram transformadas num fio musical contínuo para evitar ajuntamentos.

Outra empresa, a Isedez, que ilumina o Natal há cerca de 20 anos em mais de 200 aldeias nas regiões espanholas da Extremadura (oeste) e Andaluzia (sul) e até em Portugal, conseguiu manter a sua pasta de clientes, que continuaram com os pedidos e até aumentaram o orçamento.

A maioria das cidades acendeu as suas luzes na véspera da "Black Friday", com a intenção de atrair mais consumidores e com o risco, também, de aglomerações.

CONCORRÊNCIA ENTRE CIDADES

A iluminação natalícia em Espanha desperta certa concorrência entre cidades, uma vez que é também uma atração turística, embora este ano a circulação de pessoas entre regiões esteja restringida devido à pandemia.

A iluminação de Madrid é notícia todos os anos, e representa o início simbólico do Natal na capital.

Este ano foram iluminadas 210 ruas e praças, mais 30 do que em 2019, com 10,9 milhões de lâmpadas, e um orçamento de 3,17 milhões de euros, praticamente idêntico ao do ano passado.

Destacam-se quatro faixas de luzes com as cores da bandeira espanhola, não isentas de polémica.

E centenas de arcos, quase cem quilómetros de correntes, 12 pinheiros e 119 amendoeiras a brilhar, o logótipo do Ano Santo Xacobeo de 2020 junto à estação ferroviária de Atocha e a grande novidade deste ano, uma menina gigante na praça central de Colón.

Barcelona (nordeste) dedica este ano 1,7 milhões de euros às luzes de Natal, mais 65% do que no ano passado, para "relançar a vida comercial" dos bairros do centro.

No total são iluminados mais de 100 quilómetros lineares de vias públicas com uma potência contratada superior a anos anteriores, de 1.000 quilowatts.

"O Natal neste planeta começa com o acender das luzes em Vigo", segundo o presidente da câmara desta cidade da Galiza (noroeste de Espanha), Abel Caballero.

Este ano serão dez milhões de luzes LED para iluminar 334 ruas, com 2.700 decorações, além de 450 árvores.