EFEBerlim

Autoridades sanitárias alemãs consideram que possivelmente irá ser necessário um reforço da vacina contra o coronavírus no próximo ano, conforme alguns fabricantes já tinham apontado.

O presidente da Comissão Permanente de Vacinação da Alemanha (Stiko), Thomas Mertens, alertou em entrevista publicada neste domingo pelo grupo "Funke" que "as vacinas atuais contra o coronavírus não vão ser as últimas".

"Em princípio, devemos preparar-nos para que provavelmente no próximo ano todos tenhamos de renovar a nossa proteção imunológica", disse ele.