EFEMadrid

A organização responsável pela Eurovisão de 2021 confirmou esta segunda-feira que no próximo ano haverá 41 países a concurso depois de um amargo 2020, onde pela primeira vez nos 65 anos de história não foi possível realizar o festival devido à pandemia da covid-19.

Tratam-se dos mesmos que teriam participado na edição deste ano, entre os quais a Bulgária e Ucrânia, ausentes da última edição realizada, a de 2019, que também contou com 41 concorrentes.

"A organização está a trabalhar arduamente para assegurar que a Eurovisão ofereça toda a emoção e inovação esperada deste concurso por cerca de 180 milhões de espectadores em todo o mundo apesar destas circunstâncias difíceis", reza o comunicado enviado esta segunda-feira à imprensa.

Como anunciado anteriormente, a edição de 2021 terá lugar na cidade holandesa de Roterdão entre 18 e 22 de maio, data da grande final, onde 10 países irão competir em cada uma das meias-finais, mais os 5 que compõem o grupo dos "Big Five" (Espanha, Reino Unido, França, Itália e Alemanha) e o anfitrião, Países Baixos.

A fim de evitar que 2021 seja mais um ano vazio sem o famoso concurso europeu da canção, estão a ser contemplados quatro cenários possíveis para a sua celebração de acordo com as necessidades de distanciamento social. A opção escolhida será conhecida "a princípios do próximo ano".