EFELima

O ex-presidente do Peru Alan García disparou contra si mesmo nesta quarta-feira na sua residência, em Lima, quando iria ser detido em cumprimento de uma ordem judicial por supostos crimes de corrupção no caso Odebrecht.

Fontes médicas consultadas pela Agência Efe indicaram que o boletim divulgado após o ex-presidente ser internado no hospital Casmirio Ulloa de Lima cita traumatismo no lado direito da cabeça por feridas causadas por arma de fogo.

Testemunhas consultadas por uma emissora de televisão do Peru indicaram que García chegou ao hospital coberto por uma manta vermelha e, pouco depois, o seu filho entrou rapidamente no local.

O disparo aconteceu quando agentes da Divisão de Investigação de Delitos de Alta Complexidade foram à casa do político, sobre o qual pesa desde o final do ano uma ordem de impedimento de saída do país, para submetê-lo a uma detenção provisória por dez dias ordenada pelo Poder Judiciário.

Junto a García, também foi ordenada a detenção de Luis Nava, secretário da Presidência durante o governo do líder do Partido Aprista, e Miguel Atala, ambos colaboradores próximos do ex-presidente e apontados como os seus testas-de-ferro.

A situação legal de García complicou-se depois de que no domingo foi divulgado que a construtora Odebrecht, em acordo de delação premiada com a Justiça peruana, revelou que o ex-secretário da Presidência e o seu filho José Antonio Nava receberam 4 milhões da empresa para a concessão do contrato de construção da Linha 1 do Metro de Lima.