EFEBerlim

Uma ex-trabalhadora alemã da multinacional Sony Classical juntou-se às acusações contra o cantor espanhol Plácido Domingo por um comportamento físico que ela não desejava e que aconteceu em dezembro de 2000, informa hoje o semanário alemão "Der Spiegel".

A mulher, à qual não se identifica, disse que Domingo lhe abraçou e lhe deu um beijo na boca após chamar à porta do seu quarto no hotel no qual se alojava depois que o cantor e os tenores Luciano Pavarotti e José Carreras interviessem numa edição do conhecido programa de televisão "Wetten, dass...?".

A ex-trabalhadora da multinacional relatou que o cantor foi embora do quarto depois que ela insistisse "várias vezes" em que não estava interessada.

A mulher disse a "Der Spiegel" que contou o sucedido a sua mãe mas que não o disse aos seus companheiros de trabalho; o semanário informa que representantes do cantor disseram que Domingo não lembrava se ter encontrado com a mulher e que ele não tem nada a ver com que ela deixasse de trabalhar na multinacional.

Várias mulheres, algumas de forma anônima e outras identificando-se, atribuíram desde agosto passado a Domingo comportamentos indevids e abuso sexual, alegações que o cantor negou.