EFENova Iorque

A farmacêutica Moderna Inc. enviou o primeiro lote da sua vacina de desenvolvimento rápido e experimental contra o coronavírus para investigadores do Governo dos Estados Unidos, que farão os primeiros testes em humanos para ver se poderá ajudar a suprimir a epidemia, segundo informações divulgadas pela empresa em comunicado.

A Moderna informou que mandou esta segunda-feira frascos da vacina chamada ARNm-1273 da sua fábrica em Norwood, Massachusetts, para o Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (Niaid) em Bethesda, no estado de Maryland.

O instituto espera arrancar um ensaio clínico com entre 20 a 25 voluntários saudáveis até ao final de abril, testando se duas doses da vacina são seguras e induzem uma resposta imunológica capaz de proteger contra infecções, segundo o diretor do Niaid, Anthony Fauci, ao The Wall Street Journal. Os resultados iniciais poderão estar disponíveis em julho ou agosto.

A ARNm-1273 destina-se a ser uma vacina contra o novo coronavírus que codifica uma forma estabilizada de pré-fusão da proteína Spike (S), que foi selecionada pela Moderna em colaboração com cientistas do Centro de Investigação de Vacinas.