EFELisboa

O desequilíbrio de um extremo puro. A prolífica fábrica de extremos do Sporting. Gonzalo Plata prepara-se para a sua primeira temporada na elite europeia nas fileiras da entidade lisboeta, à qual chegou em janeiro passado vindo do Independiente del Valle equatoriano.

Após chegar com o Equador às meias-finais do Mundial sub-20, o jovem Gonzalo Plata (Guaiaquil, 2000) vai disputar esta noite contra Itália o encontro de "consolação" que determinará o terceiro e quarto lugar do campeonato realizado na Polónia, onde foi um dos principais nomes com mérito próprio.

O seu desempenho no relvado foi chave para a seleção do argentino Jorge Célico, treinador que foi capaz de juntar as virtudes de uma equipa aguerrida e vistosa, que em fevereiro passado conquistou no Chile o campeonato sul-americano sub-20.

O êxito da "Tri" reside em grande parte na parcela ofensiva do seu sistema 4-2-3-1. Com Jordan Rezabala nas funções de médio-avançado, dois extremos abertos e desequilibrantes como Plata e Alvarado, e um atacante finalizador como Leonardo Campana.

Embora tenha começado o seu percurso na esquerda, Plata passou ao clube do extremo moderno. Mudando de perna, o jogador costuma partir desde a direita quando recebe a bola. É junto à linha quando começam as suas endiabradas conduções e fintas até à linha de fundo, onde chega para normalmente procurar o passe com a sua perna menos hábil, a direita.

Ainda longe de ser um bom finalizador, o equatoriano reúne virtudes muito lucrativas para o futebol português. Veloz e habilidoso, é também um perigo em jogadas de bola parada e em trabalhos defensivos, onde não poupa esforços na realização de coberturas de apoio ao lateral atrás de si.

Um extremo adaptado ao futebol moderno que na próxima temporada vai protagonizar o salto à elite pelas mãos de um clássico do futebol luso, o Sporting. Clube que o respeitado Paulo Futre batizou numa recente entrevista com a EFE como "o melhor clube na formação de extremos".

Embora o equatoriano não tenha sido criado nos campos de treino da Academia do Sporting, a relação entre ambos faz com que se augure uma simbiose perfeita. Com apenas 18 anos, Plata vai vestir a camisola dos "leões" tal como figuras de renome mundial como Cristiano Ronaldo, Luís Figo, o ex-Valência Nani ou o próprio Futre.

Um clube histórico e conhecido mundialmente graças ao desenvolvimento do jogador de ala, de drible e transborde. Jogadores sul-americanos como o brasileiro Raphinha e os argentinos Marcos Acuña, conseguiram ganhar o carinho da família "sportinguista".

O atual campeão da Taça de Portugal tem-se mantido fiel ao seu tradicional 4-3-3. Na primeira temporada do treinador holandês Marcel Keizer, a frente de ataque foi formada na maioria de encontros pelo trio Raphinha-Bas Dost-Diaby, ainda mais consolidado desde a saída no inverno de Nani para o futebol americano.

Nesse sistema, a implantação de Plata poderia dar-se em qualquer ala, onde vai procurar ganhar um espaço junto a uma das pérolas da academia, o cabo-verdiano Jovane Cabral.

Cabral é um dos preferidos dos adeptos mas custou-lhe mais do que o esperado para entrar na rotação do plantel, apesar de ser considerado como uma das grandes esperanças verde e brancas.

Após a sua contratação em janeiro deste ano, o jovem equatoriano já disputou alguns minutos com a equipa sub-23 do Sporting, que lhe serviram de bagagem para uma rápida adaptação ao futebol europeu.

Embora não tenha chegado em ótima forma, espera-se que após as suas deslumbrantes atuações no Mundial possa chegar a pleno rendimento antes da pré-temporada e entrar totalmente na dinâmica da primeira equipa.

Grandes clubes como o Barcelona mostraram interesse quando o jovem representava o Independiente del Valle. Foi o próprio jogador que desprezou tal opção, já que a proposta era para jogar na equipa B. Cativado com a proposta do Sporting, Plata assinou até 2024 com uma cláusula de rescisão de autêntica estrela, 60 milhões de euros.

Esta sexta-feira terá novamente a oportunidade de fazer história com a sua seleção e quem sabe se a partir da próxima temporada poderá fazê-lo com o Sporting, um clube ideal para o seu futebol e para a sua formação, na qual será a sua primeira temporada entre os grandes.

Pedro Martín