EFEMadrid

Juan Carlos I vai manter "vitaliciamente" o título de rei com caráter honorífico, adquirido depois de ter abdicado em 2014 em favor do seu filho, Felipe VI, após 39 anos de reinado, segundo informou esta terça-feira o Governo espanhol.

O presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez, explicou que o rei Juan Carlos vai manter o tratamento que recebeu desde que deixou o trono, em resposta a uma pergunta de um senador sobre se pretende "revogar este título honorífico vitalício".

Isso ficou estabelecido num regulamento aprovado pelo Governo em 2014, quando o conservador Partido Popular (PP) governava Espanha.

"Há situações semelhantes às da monarquia parlamentar espanhola" em países como Bélgica, Luxemburgo e Japão, onde os seus monarcas anteriores mantêm títulos semelhantes aos do pai de Felipe VI, argumenta o Governo ao responder por escrito ao senador Carles Mulet, do partido de esquerda Compromís.

O Governo lembra que na citada norma de 2014 "a denominação de rei emérito não aparece em nenhum momento", como costuma ser chamado na imprensa.

Mulet referiu-se na sua pergunta ao "desprezo público internacional" devido aos alegados negócios ocultos no exterior de Juan Carlos I, que levaram o Procurador do Supremo Tribunal espanhol a abrir três investigações sobre diversos assuntos.

O rei emérito de 83 anos está em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) desde o início de agosto do ano passado, quando decidiu se mudar de Espanha devido às informações publicadas sobre a sua fortuna no exterior.