EFELausanne (Suíça)

A ativista climática sueca Greta Thunberg chegou esta sexta-feira à Suíça para se juntar a uma grande manifestação juvenil em Lausanne (oeste do país), prometendo que vai intensificar no Fórum de Davos o seu apelo aos líderes mundiais para enfrentar seriamente a crise climática.

"Aos líderes mundiais e aos que estão no poder digo que ainda não viram nada, vão ver muito mais, garanto-vos", disse Greta num breve discurso no final da marcha em Lausanne, que contou com a participação de cerca de 15.000 pessoas.

"Esta é a mensagem que vamos levar ao Fórum de Davos na próxima semana", disse a ativista de 17 anos, após destacar que "estamos numa nova década, mas até agora não vimos nenhum sinal de ação climática real, e isso tem que mudar".

A manifestação de Lausanne marcou um ano de greves estudantis pelo clima na Suíça, inspirada, como em muitos outros países de todo o mundo, pela que Greta Thunberg começou no verão de 2018.

"Para mim é a 74ª semana de greve, nós jovens de todo o mundo começamos essas greves todas as sextas-feiras, e já deveríamos ter feito isso há muito tempo", proclamou a jovem ativista, acompanhada da sua famosa faixa "Skolstrejk för klimatet" ("greve escolar pelo clima").