EFEMadrid

O halo galáctico que circunda a Via Láctea está a uma temperatura de cerca de 10 milhões de graus Kelvin, pelo menos dez vezes mais do que se pensava, uma descoberta que poderia ajudar a saber mais sobre como as galáxias formam-se e crescem, de acordo com um estudo da Ohio State University (EUA).

Algumas galáxias têm uma auréola ao seu redor, composta de poeira, gás e névoa de matéria escura. No caso da Via Láctea, cientistas da universidade mencionada já tinham descoberto que algumas áreas desse envelope eram pelo menos dez vezes mais quentes do que se sabia anteriormente.

As temperaturas extremas de quase 10 milhões de graus Celsius, observa o novo estudo, "poderiam ser encontradas em todo o halo", de acordo com Smita Mathur, professora da Ohio State University.