EFELondres

O príncipe Harry e a sua esposa, Meghan Markle, vão deixar de usar os seus títulos de nobreza e receber recursos públicos em troca de poder ter uma vida independente, anunciou o Palácio de Buckingham em comunicado.

O anúncio é parte de um acordo dentro da família real britânica, divulgado depois de os duques de Sussex terem comunicado à rainha Elizabeth II que gostariam de abrir mão do status de "membros séniores" da monarquia para passarem a ser economicamente independentes e viver parte do ano na América do Norte, possivelmente no Canadá.

No comunicado, a rainha Elizabeth II, avó de Harry, explicou que depois de muita conversa foi possível chegar a uma "solução construtiva" para atender os desejos do neto sem prejudicar a monarquia do Reino Unido.

"Harry, Meghan e Archie (o filho do casal) vão ser sempre integrantes muito queridos da minha família. (...) Reconheço os desafios experimentados por eles como resultado do intenso escrutínio (da mídia) e apoio o desejo de eles terem uma vida mais independente", afirmou a monarca.

Aos 93 anos, Elizabeth II agradeceu aos duques de Sussex pela "dedicação" no trabalho de representar a monarquia no Reino Unido e em outros países. Além disso, ela afirmou estar "particularmente orgulhosa" da rapidez com a qual Meghan se tornou uma integrante da família real britânica.

"É a esperança de toda a minha família que o acordo de hoje permita que eles construam uma nova vida feliz e tranquila", declarou a rainha.

O acordo passará a valer a partir da próxima primavera (entre março e junho deste ano). Com isso, Harry e Meghan vão deixar de participar dos compromissos reais, o que inclui atos militares, e não mais irão receber recursos públicos destinados à coroa británica.