EFELos Angeles (EUA)

A Marvel já levou aos ecrãs aventuras impossíveis, lutas impressionantes e missões extremas para salvar o mundo, mas "Hawkeye", a sua nova série com Jeremy Renner e Hailee Steinfeld, afasta-se um pouco da narrativa épica dos super-heróis para se imbuir do espírito do Natal.

"Nesta série vamos a um mundo muito atual, ao Natal em Nova Iorque. O Hawkeye aqui não é um super-herói: está de férias com a sua família", adiantou Renner numa vídeo-chamada com a Agência EFE.

A Disney vai estrear a 24 de novembro esta nova série que amplia o sucesso que a Marvel tem conseguido fora dos cinemas, pois este ano esteve marcado pelo êxito de projetos televisivos muito aplaudidos como "WandaVision" ou "Loki".

Depois das suas numerosas aparições nos filmes dos Avengers, Renner volta a pegar no arco como Hawkeye numa série que conta também com Hailee Steinfeld, que dá vida à intrépida jovem Kate Bishop.

LUZ ENTRE A ESCURIDÃO  

Clint Barton, o nome real por trás de Hawkeye, foi uma das personagens que mais sofreu em "Avengers: Endgame" (2019).

Nesse filme, a personagem de Renner viu Black Widow (Scarlett Johansson) a sacrificar-se em seu lugar de modo a parar e derrotar o malvado Thanos.

Esta série não elude o trauma vivido por Hawkeye, mas contrapõe-no com a felicidade, os sorrisos e a esperança das festas natalícias em Nova Iorque.

Renner sublinhou o contraste entre o tom "ligeiro" de uma história ambientada no Natal e "o peso que carrega" a sua personagem pelas feridas do passado.

"Há um maravilhoso equilíbrio aí e acho que assenta as bases do que acontece ao longo da série para todas as personagens", disse.

"Sem revelar demasiado, o papel da Hailee também tem que lidar com certas dificuldades, tragédias e coisas a superar", acrescentou o duas vezes nomeado aos Óscares por "The Hurt Locker" (2008) e "The Town" (2010).

BOAS-VINDAS A STEINFELD  

Desde a sua fantástica apresentação pública com "True Grit" (2010) dos irmãos Coen, que lhe valeu uma candidatura aos Óscares de melhor atriz secundária, Steinfeld consolidou-se como um dos talentos emergentes em Hollywood graças a filmes como "The Edge of Seventeen" (2016), a saga "Pitch Perfect", "Bumblebee" (2018) ou a série "Dickinson".

Agora aterra no universo da Marvel com a responsabilidade de encarnar Kate Bishop e com a possibilidade de se tornar numa nova favorita do público depois do fim dos Avengers.

"Pareceu-me muito emocionante o fato de que esta é uma personagem muito especial e muito querida por muitos fãs (da banda desenhada), que esperaram muito tempo para vê-la ganhar vida (no ecrã)", disse Steinfeld.

A atriz também destacou que ter Renner como colega foi um ponto a favor para se juntar ao projeto.

"Realmente não havia nada na série que não me parecesse fantástico. Interpretar esta personagem emocionou-me, alguém que é forte, independente, perfeccionista, que quer estar na ação para fazer o bem e ajudar as pessoas", afirmou.

AVENTURAS ENTRE AMIGOS

Especialmente no começo, "Hawkeye" entrega-se à dinâmica das "buddy movies", essas histórias com dois amigos partilhando aventuras e misturando ação e comédia.

Neste caso, Hawkeye e Kate Bishop devem resolver um misterioso roubo ocorrido na alta sociedade nova-iorquina combinando as suas habilidades: as de uma jovem muito entusiasta mas com escassa experiência e certa facilidade para meter a pata na poça; e as de um veterano herói que passou por mil batalhas e que agora só quer regressar o quanto antes à sua casa e família.

"A configuração desta situação é importantíssima: as nossas personagens são um pouco opostas", argumentou Renner sobre a química dos dois protagonistas.

"Mas para isso é também preciso uma atriz inteligente e capaz de o fazer. Requer-se uma dança entre os dois para o conseguir. Sinto-me realmente bem sobre esse aspecto da série", concluiu.

Por David Villafranca