EFENova Iorque

Uma juíza indiciou um homem por entrar numa área restrita do aeroporto de Chicago, onde viveu sem ser detetado durante três meses por medo de regressar a casa e apanhar covid-19, informou o jornal Chicago Tribune esta segunda-feira.

Aditya Singh, de 36 anos, disse às autoridades que tinha medo de voar para a Califórnia por causa da pandemia, pelo que passou três meses, de outubro ao último sábado, a viver numa área restrita do aeroporto de O'Hare sem ser detetado.

Singh foi detido no sábado depois de funcionários lhe terem pedido para se identificar, mostrando-lhes um passe que pertencia a um trabalhador desta área restrita do aeroporto que o tinha perdido.

O californiano viveu durante três meses graças à comida que alguns passageiros lhes davam, e a sua capacidade de passar despercebido chamou a atenção da juíza que, na audiência de domingo, expressou a sua incredulidade.

"Se bem entendi, está a dizer-me que uma pessoa que não era empregada e não estava autorizada tem alegadamente vivido numa parte segura do terminal do aeroporto de O'Hare de 19 de outubro de 2020 a 16 de janeiro de 2021 sem ter sido detetada", disse a juíza do distrito de Cook, Susana Ortiz.

Singh reside num bairro de Los Angeles e não tem registo criminal, pelo que pode ser libertado sob fiança de 1000 dólares, e deve voltar ao tribunal na próxima semana.

A juíza ficou surpreendida pelo homem ter passado três meses sem ser detetado e lembrou que o incidente é muito grave porque põe em causa a segurança do aeroporto.